"O dia que faltava" de Fábio Volo - OPINIÃO


.


"O dia que faltava" de Fábio Volo

Durante cerca de dois meses, Giacomo e Michela encontram-se todos os dias de manhã no eléctrico, a caminho do trabalho. Não se falam, apenas trocam olhares, mas para Giacomo esse momento transforma-se rapidamente no mais importante do dia. Até que uma manhã, sem que nada o previsse, Michela aborda-o e convida-o para tomar café, somente para lhe dizer que vai partir para Nova Iorque e não se vão voltar a ver. Mas quanto tempo resistirá Giacomo a correr atrás de um sonho? Um romance que reflecte sobre os desafios do amor, da amizade e dos sonhos, e que se tornou um bestseller em Itália.

Opinião:

Antes de iniciar leitura e sem ler o resumo do livro questionei – me “O dia que faltava” para quê? Para viver um grande amor? Para mudar de vida? , Para ultrapassar novos desafios? ... perguntas de retórica mas que sem querer tiveram resposta a ler este maravilhoso romance. 
“Será que uma pessoa pode apaixonar – se por alguém que não conhece, mas que vê apenas no trajeto diário de um elétrico?” – Giaconomo (pág 20) 

Giaconomo, uma das personagens principais do romance, vive um louco e intenso jogo de amor por Michaela, a jovem do elétrico. 

O gesto, o cheiro, o olhar… é a prova que o silêncio por vezes fala mais alto que as palavras. O que alude a um certo mistério e busca de prazer. 

Ao longo deste livro poderá viajar pela busca do sentido de valores, da amizade, dos sonhos e a procura do Grande Amor. Os desafios que o ser humano é capaz de travar na busca do verdadeiro Amor. Assim como, até que ponto o tempo é aliado ou adversário o Amor? 
Será que há um dia que se rompe barreiras e se corre atrás do desconhecido…vivendo um jogo de conhecimento pessoal e do outro? 

Neste romance o leitor é abordado com uma história suave e algo primaveril sobre a busca incessante do Amor. Viajando por Itália, Nova Iorque e a cidade do Amor, Paris. Cenários idílicos para viver uma história de amor. 

Está é uma narrativa que apresenta alguns pontos em comum com cada um de nós (já vivenciados ou pelo menos sonhados com algo muito semelhante). Está semelhança de realidades aproximam o leitor da história, cativando – o. 

Termino com esta frasw: “Morre só um Amor que desiste de ser sonhado”- Pedro Salinas

Opinião por:
Rita

3 Responses to “"O dia que faltava" de Fábio Volo - OPINIÃO”

  1. Tenho um selinho lá no meu blog para o Melodia das Letras!!

    Beijinhos e continuação de muito sucesso!

  2. Deixei-te um selinho no meu blog.

    Passa lá: http://romances-de-mesinha-de-cabeceira.blogspot.pt/2013/02/selo-2013-literario.html

    Boas Leituras

  3. Paulo says:

    Do mesmo autor, recomendo "As Primeiras Luzes da Manhã"

Your Reply